terça-feira, março 08, 2011

506 - DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Eis-me

Eis-me
Tendo-me despido de todos os meus mantos
Tendo-me separado de adivinhos mágicos e deuses
Para ficar sózinha ante o silêncio
Ante o silêncio e o esplendor da tua face

Mas tu és de todos os ausentes o ausente
Nem o teu ombro me apoia nem a tua mão me toca
O meu coração desce as escadas do tempo em que não moras
E o teu encontro
São planícies e planícies de silêncio

Escura é a noite
Escura e transparente
Mas o teu rosto está para além do tempo opaco
E eu não habito os jardins do teu silêncio
Porque tu és de todos os ausentes o ausente

Sophia de Mello Breyner Andresen - Cem Poemas de Sophia - Ed. Visão/JL

Etiquetas: , ,

7 Comentários:

Às terça-feira, 08 março, 2011 , Anonymous Anónimo disse...

Obrigada, Amigo, por te lembrares de nós!
AIDA GRADES

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Blogger Raquel V. disse...

:)

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Blogger Paula Raposo disse...

Sophia é sempre Sophia!

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Blogger M. disse...

Tinha-me esquecido que hoje era um dia especial. Obrigada pela lembrança.

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Blogger Maria disse...

É bom ter uma surpresa. Sobretudo se for agradável, como esta.

Obrigada.

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Anonymous Luisa disse...

Tão bonitos estes versos e tão bonita a tua lembrança neste dia!

 
Às terça-feira, 08 março, 2011 , Anonymous Anónimo disse...

Sophia
mãe mulher poesia
As férias na Granja, o mar...
A cidade adoptada.
Obrigada Zé, lembrança do que gosto!
Abç da bettips

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial