domingo, abril 01, 2007

História triste

A história de um gatinho triste


Tudo começara num jardim maravilhoso. Ao saírem, apanharam ambos o comboio da Felicidade. Passaram três dias de viagem conjunta e, por motivos ainda pouco claros, o gatinho escorregou e caiu na linha. O comboio, indiferente, continuou a sua marcha. Lá dentro continuava a gatinha.
- Paciência, pensou o gatinho. São só uns arranhões e isto passa. Ainda a vou ver de novo.
Deixou-se ficar sem saber o caminho para casa. E nem sequer sabia se queria voltar.
E aquele gatinho nunca mais foi o mesmo. Devido talvez a algum problema lacrimal não parava de chorar e de miar. Mas ninguém entendia os seus miados.
Um dia ainda contactou a gatinha antes desta partir para uma longa viagem. Depois, com a gatinha já longe, muito longe, miou desesperadamente mas não obteve resposta.
Durante muito tempo andou lá por baixo, nos caixotes do lixo, à procura nem sabia de quê.
Voltou ao local onde caíra do comboio, na esperança que passasse o mesmo ou outro que fizesse a ligação. Mas só encontrou silêncio e um monte de ervas tinha crescido na linha. Um humano dizia a outro que ali não voltavam a passar comboios.
O gatinho chorou até as lágrimas secarem. Encostou-se a uma travessa, depois deitou-se e miou até à exaustão. Ao perceber que não havia mais resposta fechou os olhos e adormeceu para sempre.

8 Comentários:

Às domingo, 01 abril, 2007 , Blogger dulce disse...

Prposta para um outro final:

O gatinho chorou até as lágrimas secarem e depois adormeceu, exausto. Dormiu por muito tempo embalado por sonhos em que se misturavam o passado e o futuro. Dormiu por muito tempo enquanto a noite deu lugar à manhã e de novo à noite ... até que numa manhã algum tempo depois, (o gatinho não sabe quanto tempo dormiu) o gatinho acordou e o sol brilhava inensamente lá no alto. O azul estava mais azul e as nuvens haviam desaparecido do céu. Espreguiçou-se o gatinho enquanto uma nova sensação o tomava. Pensou na sua gatinha e o seu pequeno coração estemeceu ainda, mas não já não chorou. O sol estava morno e o caminho à sua frente, apelativo. Farejou o ar à sua frente e caminhou confiante para mais um novo dia.
Miaauuuuuuu!!!!!!!!!!!

Beijinhos

 
Às segunda-feira, 02 abril, 2007 , Blogger viajante disse...

Este final é muito mais bonito.Mas...

 
Às segunda-feira, 02 abril, 2007 , Blogger Paula Raposo disse...

Triste história sim. Cheia de pontos comuns como tantas outras histórias da vida humana!! Beijos.

 
Às segunda-feira, 02 abril, 2007 , Blogger Leticia Gabian disse...

Oh... Zé! Como desejava finais diferentes pra esse gatinho! Ele bem que podia encontrar uma família de humanos na qual se inserir e lá viver até sempre. Podia encontrar outra gatinha, aos poucos se apaixonar, e com ela formar sua própria família. Podia pegar carona num caminhão, reencontrar o seu amor em uma parada de combio e retomar a sua história. E tantos outros finais imaginados, menos este tão triste.

 
Às segunda-feira, 02 abril, 2007 , Blogger viajante disse...

Paula
Obrigado pelas visitas.
O Canela e Erva Doce não aceita comentários?
Se sim, não consigo aceder.

 
Às segunda-feira, 02 abril, 2007 , Blogger viajante disse...

Leticia
Eu tb queria um final diferente, mas foi este que o gatinho teve.

 
Às quinta-feira, 05 abril, 2007 , Blogger G. disse...

Triste sim, mas lindissima esta história!

Que pena que o verdadeiro final não tenha sido mais feliz :(

G.

 
Às quinta-feira, 05 abril, 2007 , Blogger viajante disse...

G
Benvindo(a) de novo.
E já agora um convite para
OUTRA(S)JANELA(S) e
AZULEJOS.COM ,com os links aqui ao lado.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial