quarta-feira, março 14, 2007

Mulher




Sou solteiro. Não tenho mulher. Tenho dois filhos lindos, fruto de uma ligação fugaz com uma cadela linda: Nikita. Sei que os filhos estão bem e isso alegra-me.
No entanto faço esta homenagem à Mulher. Que não interessa ser hoje, porque o Zé diz que todos os dias são Dias da Mulher.


Na última visita à clinica, descobri no meio de uns papeis, um cartaz com um poema lindo. Não o conhecia e o Zé também não. Por isso, junto com as fotos, segue o Poema. De um poeta chamado Neruda.
Simão
MULHER
Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.
Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam " não " como resposta quando
acreditam que existe melhor solução.
Elas andam sem novos sapatos para
suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao médico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.
Elas choram quando suas crianças adoecem
e se alegram quando suas crianças ganham prémios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre
um aniversario ou um novo casamento.
Pablo Neruda
(Versão brasileira)

3 Comentários:

Às quarta-feira, 14 março, 2007 , Blogger dulce disse...

Gostei da partilha, Simão!
Aqui vai a minha festinha! :-)

 
Às sexta-feira, 16 março, 2007 , Blogger Paula Raposo disse...

Adoro este poema! O Simão está sempre atento...as melhoras e que depressa deixes de ter esse empecilho à volta do pescoço!

 
Às sábado, 17 março, 2007 , Blogger viajante disse...

O Simão estava a ver que as Mulheres não estavam atentas...
Afinal enganou-se.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial