quinta-feira, novembro 01, 2012

703 - Pão-por-Deus

«1 de Novembro de 2012.  5ª feira - Feriado Nacional (Parece que é o último...)

Dia da Luta e Prevenção do Cancro»

Borda D`Água de 2012 


Hoje portei-me muito mal. Desde cedo que a campainha da porta (lá em baixo, na rua) não parava de tocar. Pão-por-Deus, por favor. Ignorei tudo. E só cedi (melhor, alguém cedeu) quando bateram mesmo à porta de casa. Lá levaram, na sacola de pano, algumas moedas.

E senti--me mal porque me lembro de,em menino, encher sacos e sacos das mais variadas coisas. Foi assim comigo e depois também com alguns dos filhos.

Os tempos são outros, a crise blá-blá, mas gostava muito que fosse como antigamente.

Recupero aqui o texto de há um ano. Para me redimir? Nem isso. Hoje não é o meu dia...

 

612 - Todos os Santos, Pão-por-Deus e etc.




Começando pela tradição, acho que me estou a portal mal. Nunca me lembro deste pormenor, batem à porta, «pão-por-deus, por favor»

(expliquem-me: é o mesmo que «doçura ou travessura» do Halloween ?)

e digo que não há. Mas, sessenta anos atràs (e mais tarde com os filhos) era bom encher os sacos (que a mãe preparava com todo o amor) com figos, nozes, castanhas, rebuçados. E havia também o saquinho mais pequeno das moedas. Nalgumas alturas era necessário ir a casa despejar a saca grande e voltar aos pedidos «pão-por-deus»... Tempos de fartura...
Agora, tempos modernos (e de crise) não me parece que as crianças tenham tanta sorte. Mas mereciam, como eu na altura.



Dia de Todos-os-Santos. São tantos, acho eu, que enchia páginas e páginas...Mas vai sendo altura de santificar mais alguns, os modernos.
Santo Aníbal (C.S. para os mais distraídos), Santo Sócrates, S. Durão (ou Santo Durão), Santo Isaltino (uma estátua, já), São Duarte L., Santa Fátima, Santo Avelino, Santo Oliveira C. e, nunca mais acabava a Santidade.
Se calhar, Santo António e S. Francisco de Assis (o dos animais, não o outro...) ficavam envergonhados pelas novas companhias. Mas Santos assim, iremos ter muitos nos tempos mais próximos.

2 Comentários:

Às sábado, 03 novembro, 2012 , Blogger Justine disse...

Aqui na aldeia continua a ser uma festa comunitária: os miúdos passam o dia a correr as casas, com as suas saquinhas de pano, a pedir o bolinho; as senhoras todas fazem bolinhos caseiros, que são deliciosos; os pais não querem ficar de fora, e acompanham as crianças que ainda não pdoem andar sozinhas.
Adoro este dia passado aqui!Ainda é como dantes...

 
Às sábado, 03 novembro, 2012 , Anonymous Anónimo disse...

Ainda bem que ainda é assim. Que bom viver na Aldeia.
Quando me "reformar" gostaria imenso de viver numa. De xisto, de preferência....
Bj

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial