quarta-feira, maio 14, 2008

Maio 68 e outros Maios




Do Maio de 68 muito se tem falado e escrito.
Rádios, TVs, Jornais.
Notícias, Debates, Reportagens.

Do Maio de 68 ( o tal, em França ) lembro muito pouco. Nem me lembro se na altura me disse alguma coisa. Penso que sim mas a memória não ajuda a lembrar aquele Maio. Em Maio de 68 estava hà 10 meses na tropa. Numa situação estável, livre da ida ao Ultramar ( outros assim pensaram também, mas...). A fazer serviço administrativo numa unidade cheia de oficiais - era a escola deles - sei que passaram pelas mãos mensagens criptadas que não sabia ler ( e ainda bem ) e que tinha que entregar, muito em segredo, noutro sítio ali perto a fim de serem descodificadas. Nesse Maio de 68, enquanto regaladamente eu estava numa secretária, muitos homens, que eu não conhecia, mas eram meus irmãos de tropa, morriam em Angola, Moçambique, Guiné... E muitos outros que voltaram (sem ser em caixão de pinho, como o soldadinho) vieram com feridas. No corpo e na alma. Feridas que ainda hoje persistem.

---

O Maio mais antigo que me marcou (só agora o sei) foi o de 1919. Nesse ano nasceu meu pai. E por causa disso eu estou aqui. Um beijo para ele.

Em 1948, Maio, fundou-se o Estado de Israel. Para muitos um dia grande. Para outros, um dia para esquecer. Não tomo partido por nenhum dos lados. Não sei como reagiria. Se calhar todos têm razão. Se calhar nenhum tem razão. Mas a verdade é que, sessenta anos depois, aqueles homens e mulheres, de Israel e da Palestina devíam viver em Paz. Sem exércitos. Ou apenas armados de amor uns pelos outros. Será assim até quando ?

Maio de 1977. Uma viagem de comboio, longa, cansativa mas muito boa, levou-me a Paris. De 1 a 21 de Maio, viver naquela cidade foi inesquecível.
Ainda hoje lá " estou ".
Maio de 1998 - Morreu Frank Sinatra. Importante ? Talvez. Mas como se tem falado tanto dele nestes dias...

Maio de 2003. Já havia uma neta. Neste Maio aparece o primeiro rapaz. É lindo, como a irmã e o primo. Um destes dias tenho que lhe dar os parabéns.
---

Maio de 2008. Há nuvens profundas no céu. Tem chovido imenso. Tempestades violentas e grandes trovoadas. Por vezes o Sol aparece, mas é de pouca dura. O vento é assustador.
No entanto consigo ver, não sei se perto se ao longe, um Sol radioso, um dia magnífico. Que eu anseio e muito.

(Não, não estava a ver o boletim meteorológico. Estava a olhar para um espelho)
Em fundo musical gostaría de ter colocado " Cantigas de Maio " de José Afonso. Mas estão só no ouvido.

11 Comentários:

Às quarta-feira, 14 maio, 2008 , Blogger viajante disse...

Mão amiga fez-me chegar o link com o tema " Maio Maduro Maio ".
No entanto a desfuncionalidade actual não permite a sua inclusão.
Mas obrigado.

 
Às quarta-feira, 14 maio, 2008 , Blogger greentea disse...

ia falar no Maio Maduro Maio...
é uma vida, Zé - recordar Maio de 68 em q já estavas na tropa e ver o correr dos anos e desejar (continuar a desejar) um outro Maio maduro Maio !

Com um beijo florido, de mulher dos anos sessenta !

 
Às quinta-feira, 15 maio, 2008 , Blogger Dulce disse...

Ohhhhhhhhh!!!!! ficava bonito!! com a música a condizer!
Beijos grandessss

 
Às quinta-feira, 15 maio, 2008 , Blogger Paula Raposo disse...

Em 1968 era eu uma adolescente que sabia muito pouco do que se passava à minha volta. Ainda sonhava com o princípe encantado e com finais felizes para todas as histórias. Ainda acreditava. Um outro Maio, mais recente, trouxe-me a dor de perder um Amigo. Já não acredito. Beijos.

 
Às sábado, 17 maio, 2008 , Blogger pedro macieira disse...

Uma boa navegação do "Trans-Atlântico".
Bom fim de semana
Um abraço

 
Às sábado, 17 maio, 2008 , Anonymous Luisa disse...

Gosto do mês de Maio porque é o mês das flores. Não sou como tu: nada tenho a assinalar de espcial neste mês, a não ser essas datas históricas qe na altura nada me disseram. No nosso País pouco se sabia do que acontecia lá fora...Agora talvez se saiba de mais!

 
Às segunda-feira, 19 maio, 2008 , Blogger Justine disse...

Post magnífico, ZV! Encantou-me o plurifacetado das verdades, dos maios, dos sentimentos, das esperanças. Porque do espelho, esse raio de sol que vês, é a esperança - de nós todos - de que o sonho se transforme em vida.
Abraço

 
Às terça-feira, 20 maio, 2008 , Blogger Passaro Azul disse...

Querido Zé!!!
Finalmente encontrei-te!
Deixas-te o Travessa Larga e eu não sabia deste teu espaço.
Parabéns.
Continua fantástico.
Adorei este reencontro.
Vou voltar mais vezes.
Tinha saudades
Deixo-te um abraço com muita amizade.

 
Às quarta-feira, 21 maio, 2008 , Blogger bettips disse...

Beijo. Por todos os maios passados e os sóis a seguir.
(eu sabia de Maio 68, de guerra antes, de Humberto Delgado em 58, de outros 888s - e agora vejo que tantos infinitos influenciaram vidas!).

 
Às quarta-feira, 21 maio, 2008 , Blogger Justine disse...

Delicioso e divertido, o teu texto do "Jogo das 12 palavras" :))

 
Às sexta-feira, 23 maio, 2008 , Blogger M. disse...

De grande sensibilidade, este post. E de grande humildade (tomada no sentido mais puro).

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial