domingo, novembro 11, 2007

Outrora...

" Nos meados do séc. XX, a minha vizinha D. Joaquina, já com 82 anos e a residir na Rua das Murtas, perto da Estação, disse-me que, na sua juventude, o transporte de mercadorias e pessoas entre Sintra e Lisboa era assegurado pelo " Carrão ". Tratava-se duma carruagem puxada a cavalos, a qual percorria a Estrada Real, de traçado pouco coincidente com o actual IC 19. Essa estrada começava em Sintra, na Vila Velha, onde fica o Palácio Nacional, passava pelo Arrabalde, perto da igreja de Santa Maria, ia por S. Pedro de Sintra, Ramalhão, Ranholas, etc., até às Portas de Benfica, onde havia uma delegação aduaneira. Noutra ocasião, aí por final dos anos 30 ou início dos 40, do século passado, recordo-me de ouvir dizer ao Sr. Sebastião Martinho - que explorava terras para a agricultura e uma vacaria onde hoje está uma loja de móveis, junto à Pensão Nova Sintra, no Largo Afonso de Albuquerque, na Estefânia, em Sintra - que os passageiros, como tinham receio de viajar no comboio, davam a primazia ao supra referido " Carrão ". O comboio teve, pois, que desenvolver esforços no sentido de conquistar a clientela, mas venceu "


José Adriano Marques em " Novos Horizontes " - Boletim da Associação Cultural da Terceira Idade de Sintra, nº 2 - Jan-Fev-Mar 2007


Palácio Nacional de Sintra

Jardim da Vigia, muito perto do Arrabalde

S. Pedro de Sintra
Pensão Nova Sintra e o local da antiga vacaria

Contou-me meu pai, com 88 anos, que o Sr. Sebastião Martinho foi quem lhe arrendou uma casa nos finais de 1946 na altura em que se instalaram em Sintra vindos do Alentejo. Meu pai, nascido em Sintra e com toda a família aqui, foi a Borba casar e mais tarde, após o meu nascimento, regressou às origens onde ainda se encontra.
Sobre a história do Caminho de Ferro em Sintra, está a decorrer, na Biblioteca Municipal de Sintra uma exposição sobre o tema. A não perder.

6 Comentários:

Às domingo, 11 novembro, 2007 , Blogger José Cavalheiro disse...

Interessante notícia sobre o passado.
A exposição deve ser também muito interessante.
Vou ver se ainda vou a tempo de a visitar.
Até porque ainda não tive o prazer de entrar na biblioteca Municipal de Sintra.
Fica bem

 
Às domingo, 11 novembro, 2007 , Blogger viajante disse...

Exposição de 9 de Novembro a 16 de Dezembro.
Horário:
Segunda: das 14h00 às 20h00
Terças a Sextas: das 10h00 às 20h00
Sábado: das 14h30 às 19h30
Domingo: Encerrada

 
Às domingo, 11 novembro, 2007 , Blogger Paula Raposo disse...

Gosto imenso de saber coisas do passado. Que bom que contaste aqui. Beijos.

 
Às segunda-feira, 12 novembro, 2007 , Blogger bettips disse...

Felizmente, a memória! Muito aprendemos com ela e esses amigos que a cultivam. Abraço, Zé

 
Às segunda-feira, 12 novembro, 2007 , Blogger pedro macieira disse...

Memórias interessantes sobre os transportes, do início do Séc XX. Hoje os acessos rodoviários a Sintra, principalmente o IC19, são uma calamidade,restando o comboio como uma boa alternativa.Pena é que também no caminho de ferro, Portugal esteja na cauda da europa e não só geográficamente.
Um abraço

 
Às terça-feira, 13 novembro, 2007 , Blogger luis manuel disse...

José, a vantagem de saber onde atracam os barcos... um trans-atlântico por exemplo. Também saber sintonizar as ondas hertzianas...
Mas mesmo grande vantagem, é saber onde encontrar aqueles espaços onde a amizade e a solidariedade estão presentes, e nos fazem sentido á vida.

Por aqui estou, embarcando de novo !
A estadia em "terra" foi mais prolongada do que queria. Agora é hora de "embalar a trouxa e zarpar... tiriritiriiri... " (como cantava Zeca)

Um grande abraço

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial